Quique, deve ir ou ficar?

Já aqui defendi a continuidade de Quique Flores como treinador do Benfica mas o homem parece apostado em não me dar razão.

Neste momento há dois grandes argumentos, um a favor e outro contra a continuidade do espanhol. O Benfica precisa de estabilidade no seu projecto desportivo, é certo, mas por outro lado o futebol apresentado por esta altura já devia ser bem melhor ou, pelo menos, mostrar alguma evolução em relação ao início da época.

Eu, a cada derrota mais inclinado fico para a tentativa de manter a estabilidade despedindo Quique Flores. A questão é, será isto possível? Será que a equipa pode evoluir (em oposição a começar tudo de novo, outra vez) mudando de treinador?

É fundamental que a base do plantel seja a mesma deste ano. Ir buscar jogadores apenas para as posições mais debilitadas (lista de compras, dois laterais e um extremo direito) e depois disto apenas substituir os jogadores que não conseguirmos mesmo segurar. Um novo treinador terá que trabalhar com um plantel construído nestas condições. Além disso Rui Costa deve continuar como director desportivo, independentemente de quem for o presidente.

Se for assim, venha outro treinador. Um melhor que este! O que, à partida, desqualifica logo Scolari (devem mas é estar a gozar!).

Antevisão da final da Taça da Liga

A Taça da Liga tem um formato parvo. Não tem de longe o prestígio que têm o Campeonato e a Taça de Portugal. Tem uns regulamentos que são uma lástima.

É, contudo, uma competição em que estavam inscritos à partida os principais rivais do Benfica. Apesar de tudo o que se diz sobre clubes-empresa, o principal negócio do Benfica é competir com os rivais (seja no futebol seja noutras modalidades), e é por isso que a final de hoje contra o Sporting, e especialmente por ser contra o Sporting, é um jogo importante.

Queria dizer isto antes do jogo para não ser acusado de analisar a competição só depois de saber o resultado final. Repito, o jogo é importante e é para ganhar.

PS: Sobre a situação de Quique Flores em caso de derrota ou vitória, a minha posição é clara. O que o Benfica tem feito nos último anos, despedir treinadores (e mudar de estratégia) ao primeiro sinal de dificuldades,  já se viu que não dá resultado. Quique Flores e Rui Costa devem continuar, na próxima época, o trabalho que iniciaram nesta.

Nova época

Estou optimista em relação à nova época do Benfica e a principal razão para isso chama-se Rui Costa. Primeiro porque a entrada de Rui Costa para o cargo de director desportivo significa o fim da quase catastrófica gestão desportiva levada a cabo por Luís Filipe Vieira em particular na época passada. Segundo porque nós conhecemos Rui Costa, sabemos que o que ele quer para o Benfica é o mesmo que todos os benfiquistas querem e por isso mesmo é merecedor de toda a confiança, confiança que Rui Costa construiu durante toda a sua carreira como jogador e como benfiquista.

É claro que o sucesso não se faz só de intenções mas, para já, estou plenamente convencido que estamos no bom caminho.

Champions League

Image hosted by Photobucket.com

Que grande final! A minha equipa italiana preferida de um lado, a minha equipa inglesa preferida de outro. Talvez pelo seu estatuto de “underdog” eu preferisse uma vitória do Liverpool. Mas também não me importaria se a vitória sorrisse ao Milão e a Rui Costa.

Depois um hino ao futebol. 45 minutos para cada equipa mostrar o melhor que sabe fazer. Poucos acreditariam que depois de o AC Milan chegar ao intervalo a vencer por 3-0 (excelente o golo de Crespo) o Liverpool ainda chegaria ao empate e levaria o desempate para os penaltis.

Nos penaltys foi a vez de Dudek, com a sua “dança” em cima da linha final (apesar de em dois penaltys que defendeu ter saído da linha final antes de o adversário tocar na bola), entregar a taça ao Liverpool, vinte anos depois.