À atenção do Sr. Pedro Henriques

Para que não hajam dúvidas em relação à arbitragem do Sr. Pedro Henriques no jogo de ontem entre o Benfica e o Nacional. Começa pela dualidade de critérios, já que quando a bola toca no braço do jogador do Nacional o árbitro deixou seguir mas quando a bola toca na mão do jogador do Benfica, aí sim, já é falta.

httpv://www.youtube.com/watch?v=CgK81duwhFw

Mas a situação fica ainda mais ridícula quando o árbitro faz declarações à imprensa (por exemplo na SIC, logo no início do Primeiro Jornal) dizendo que é falta independentemente de a acção ser deliberada ou não. Escolha curiosa de palavras dado que a lei 12 do futebol (faltas e incorrecções) diz o seguinte (o bold é meu):

(…)

Um pontapé livre directo será igualmente concedido à equipa adversária do jogador que cometa uma das três faltas seguintes:

  • agarrar um adversário
  • cuspir sobre um adversário
  • tocar deliberadamente a bola com as mãos (excepto o guarda-redes dentro da sua própria área de grande penalidade)

Diz ainda na secção “Interpretração das leis do jogo e linhas orientadoras para árbitros”:

Tocar a bola com as mãos implica um acto deliberado em que o jogador toma contacto com a bola com as mãos ou com os braços. O árbitro deve ter em consideração os seguintes critérios:

  • o movimento da mão na direcção da bola (e não a bola na direcção da mão);
  • a distância entre o adversário e a bola (bola inesperada); 
  • a posição da mão não pressupõe necessariamente uma infracção;

(…)

Penso que não ficam dúvidas em relação ao lance em causa. Golo limpo que devia ter sido validado.

Depois há ainda a questão da expulsão do Nuno Gomes já no túnel de acesso aos balneários. Ainda na lei 12 é dito o seguinte:

O árbitro tem autoridade para aplicar sanções disciplinares, desde o momento que entra no terreno de jogo até que saia após o apito final. 

Ora bem, se o árbitro já tinha apitado para o fim do jogo e se já tinha saído do campo então não tinha autoridade para expulsar mais ninguém. Penso que também não deixa dúvidas.

Nota: As citações são retiradas do documento “Livro das Leis de Jogo 2008” presente no site da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (mesmo da toca do lobo, portanto).

Breves

Devido aos costumeiros “afazeres sociais” desta época tenho estado afastado deste blog. Por isso vou fazer apenas umas pequenas observações para por a matéria em dia.

Liverpool

Não havia dúvida nenhuma que ia calhar um adversário complicado fosse ele qual fosse. Mas a confiança está em alta como mostra a elevada afluência dos benfiquistas às bilheteiras que esgotaram os ingressos em tempo recorde. E ainda cheguei eu a ponderar ir ver o jogo mas nem tempo para isso tive. Eu digo que o Benfica tem condições para ganhar o jogo.

Campeonato
Duas vitórias tangenciais mantêm o Benfica na corrida pelo título. Os lances polémicos do jogo com o Nacional já foram mais que discutidos mas mesmos assim o Benfica no jogo do deve e do haver ainda está com saldo negativo.

A vitória de hoje contra o Setúbal é incontestável. Apesar de ser provável que muita gente de pala nos olhos ainda vá tentar afirmar que o golo de Nuno Gomes não é limpo. É limpo e é um excelente golo. Natal tranquilo na Luz.

Jornada 25 em poucas palavras

O Porto começou a jornada goleando o Belenenses por 4-1. Coisa pouca. A Académica deu-lhes 5 e a jogar fora. O Sporting resolveu o jogo contra o Beira-Mar em 10 minutos e depois encostou-se. O Benfica venceu sem grande chama o Gil Vicente. A Briosa podia ter ganho ao Nacional mas o ataque madeirense não deixou.