Um lançamento é um lançamento, um canto é um canto

Ontem houve um erro num lançamento do Sporting (que tinha um pé dentro de campo), o ano passado houve um erro num canto do Benfica (que devia ter sido pontapé de baliza). Ambos os lances deram golo.

Para mim são ambos erros de importância reduzida, que não merecem grande discussão. A importância de um erro num canto ou num lançamento não é maior ou menor conforme se resulta em golo ou não.

Depois a incoerência e o alarido que se faz por causa destes erros sem grande importância (especialmente nas redes sociais). Não se pode ficar calado num dos lances e depois fazer um estardalhaço por causa do outro.

Notas sobre a Supertaça 2015

Estou a escrever este post às 10h de segunda-feira. Espero que, nesta altura, Rui Vitória esteja já no Seixal a decidir uma ideia de jogo para o Benfica. Porque ontem viu-se que ainda não a tem.

Percebo que se esteja a tentar manter o 4-4-2 do Jorge Jesus para não fazer mudanças bruscas. Mas acho que é um erro andar no limbo entre uma táctica e outra.

Apesar de todo o alarido que se fez por causa do Jorge Jesus, uma Supertaça é só uma Supertaça. É um título, claro, mas o menos importante da época.

Rui Vitória bem ao deixar o Jorge Jesus a falar sozinho.

Apesar do mau início (pré-época e Supertaça) ainda é muito cedo para conclusões. Não vejo razões nenhumas para deixar já de ter confiança no treinador do Benfica.

Na época passada deu para ver que Talisca não tem capacidade para jogar a 8. Agora, estou convencido que nem a 8, nem a 10, nem em nenhuma posição em que seja preciso ter a bola nos pés e decidir o que fazer com ela. A única posição em que pode jogar e onde rende é a segundo avançado, mas aí o lugar é de Jonas. Para já, banco.

Não surpreende

Mais uma campanha da Liga dos Campeões falhada. Na era Jesus, são 4 em 5, e por isso, infelizmente, já não surpreende.

Nas últimas épocas apresentámos plantéis mais fortes em grupos mais acessíveis. Este ano, com um plantel mais fraco e num grupo bastante mais competitivo, seria complicado fazer melhor.

Sendo também verdade que, independentemente da qualidade dos adversários, as exibições foram, no geral, fracas.

Fica o lado perverso desta eliminação permitir concentrar forças no campeonato. Não saindo ninguém em Janeiro e com o regresso dos lesionados, esta equipa é, mesmo assim, suficiente para consumo interno.

É fundamental ganhar o bi-campeonato.

Mais vale agora do que na final

Antes de mais, já garantimos que vamos jogar no estádio da final.

É o adversário mais complicado e, com a segunda mão fora, é a eliminatória mais difícil que podia sair. Mesmo assim penso que era preferível apanhar a Juventus agora, sendo que metade da eliminatória sempre é em casa, do que depois ir jogar a final “fora”.

O calendário do Benfica não é muito desfavorável. A primeira mão é já depois do jogo com o Olhanense, o que quer dizer que o Benfica pode garantir o campeonato primeiro (e tem a obrigação de o fazer) para depois poder ir na máxima força contra a Juventus. Não há jogo para o campeonato no fim-se-semana entre as duas mãos, se houver algum jogo é para a Taça da Liga (era a data da final mas não sei como isso está), dá sempre para descansar jogadores.

Eles podem ser favoritos, mas um Benfica na máxima força pode muito bem ganhar isto.

A equipa B serve para quê?

Qual era o problema do Nélson Oliveira (e do Roderick) dividir o seu tempo entre a equipa principal e a equipa B, garantindo que todas as semanas tem tempo de jogo?

É simples, se não jogar na equipa principal num determinado jogo, no próximo jogo da equipa B é titular.

Quem garante que no Deportivo o Nélson Oliveira vai ser titular? Se a equipa B não serve para dar tempo de jogo e potenciar o talento de jogadores jovens que ainda não têm lugar na equipa principal, serve para quê?

Mais um campeonato

Logo da LPFPO que me parece que este novo campeonato vai ser? Não sei, nem ninguém sabe. Por muita análise que se faça só nos jogos a sério é que se vê se a estratégia preparada na pré-época funcionou. Infelizmente, o campeonato português tem tendência a resolver-se logo nas primeiras jornadas portanto não deverá passar muito tempo até vermos uma tendência (seja com uns empurrõezinhos dos árbitros ou com outros erros, mais naturais).

Benfica

Não gostei muito da pré-época. Já não gosto muito quando se contratam jogadores directamente para emprestar a outro clube mas comprar para fazer a pré-época e “depois logo se vê” é muito pior. Depois a dificuldade em apresentar um plantel com portugueses suficientes para cumprir as regras da UEFA. Faz falta ao Benfica pensar o futebol e o seu plantel mais a médio/longo prazo. Planear uma época de cada vez não é a melhor solução.

Apesar disto tudo o plantel parece realmente mais forte que no ano anterior. Melhores jogadores e que dão a possibilidade de apresentar outros esquemas tácticos. Tenha Jorge Jesus capacidade de o pôr a render e temos boas hipóteses de ganhar o campeonato.

Porto

Basicamente o mesmo plantel, a grande diferença está no treinador que é uma grande incógnita. Acho complicado ser grande treinador mas claro que isso depende sempre da quantidade de fruta e café com leite que consumir.

Sporting

OK, levaram nas trombas do Valência e do Málaga e a defesa parece mesmo fraquinha. Mesmo assim pareceu-me um ano em que até tiveram algum juízo nas contratações, principalmente do treinador. Candidatos a fazer um campeonato bem melhor que o do ano passado mas ainda apontados ao 3º lugar.

Braga

Depois da saída do Domingos, foram buscar o melhor treinador possível. Não acompanhei muito, não sei ao certo como ficou o plantel (penso que se falava na saída de alguns jogadores importantes). Mesmo assim devem ser capazes de lutar pelo 3º lugar com o Sporting.

E vocês, o que acham?

Tenho que desconfiar

Não só, agora, da venda do Roberto mas também da sua compra. Os valores envolvidos simplesmente não são normais. Primeiro, a compra por um valor exagerado para a carreira que tinha feito até ao momento. Depois a venda, com lucro, após uma época em que só um maluco poderá dizer que o jogador se valorizou.

Claro que o meu entendimento de finanças é quase nulo e isto até pode ser tudo normal.

Se forem mesmo este os valores e se tiver tudo corrido dentro da normalidade só posso interpretar de uma forma. Fomos enganados no primeiro negócio e agora arranjámos um estúpido ainda maior para enganar. O que é de valor mas no fim a soma é zero.

A saída de Nuno Gomes

Eu sempre gostei do Nuno Gomes e sempre defendi que era um bom jogador. Mesmo quando a maioria das pessoas lhe chamava coisas como Maria Amélia. Ainda para mais, até seria, possivelmente, um jogador útil para mais uma época no Benfica.

Dito isto, será assim tão incompreensível que o Benfica não queira renovar contrato com um jogador de 35 anos que ganha 50 mil euros por mês?

Foi-lhe oferecido um lugar na equipa técnica, não acho que o Benfica tenha estado mal. Aliás, olhando para os comunicados de ambas as partes, nem sequer acho que haja aqui nenhum “caso”. Saiu, fica com as portas abertas para voltar, todos amigos.