O Mundial que não devia ser

Este Mundial, provavelmente, não se devia realizar no Brasil. Os protestos, legítimos, dos brasileiros lembram-nos que o dinheiro gasto no Mundial faz muita falta em outras áreas, como educação e saúde.

Tal como John Oliver, na sua excelente exposição da corrupção na FIFA e dos problemas de ter o Mundial no Brasil, estou dividido. Sei que tudo isto tem um custo muito alto. Em termos monetários mas especialmente em termos sociais. E, apesar disso, quando começar o primeiro jogo vou estar sentado à frente da televisão como normalmente.

Vou provavelmente gostar do Mundial, não vou gostar da sensação de o fazer.

 

Podem seguir os meus comentários sobre o Mundial aqui no blog e na página do Xuta, cão! no Google+.

Parecia o Benfica a jogar

Antes de mais, eu sempre disse que o Queiroz era o maior (vá, sem contar com o Jorge Jesus).

Depois das Costa do Marfim era preciso mostrar mais futebol. E porra, muito mais futebol que se jogou hoje. É óbvio que nunca ninguém consegue prever um resultado deste mas acho que nem os mais optimistas previram uma exibição destas. Eu não, de certeza.

Não há muito muito mais a dizer sobre o jogo, a não ser, que tudo o que podia correr bem, correu bem. Agora, Portugal continua sem ser candidato a ganhar o mundial mas vamos ver o efeito que esta exibição terá nos próximos jogos. O jogo com o Brasil parece que ficou menos complicado.

meh

Andamos uma época inteira a ver o Benfica jogar e depois chega-se a um Mundial como este e a malta ressente-se. Quase no fim da primeira jornada e ainda não aconteceu nada de realmente excitante.  Era bom que isto mudasse rapidamente. Não fosse o barulho irritante das vuvuzelas e eu ainda adormecia a ver um jogo.

Só vi os últimos 30 minutos do jogo de Portugal mas pelo que me pareceu devem ter sido mais 90 minutos de sonolência. Matematicamente, o empate nem é muito mau mas se não aparece mais futebol a coisa não vai correr bem.

Itália

Os italianos são os novos campeões do mundo. Merecidamente, digo eu. Apesar de terem tido um caminho mais fácil até às meias-finais, jogando contra Austrália e Ucrânia, mostraram no jogo contra a Alemanha, por exemplo, todo o seu valor.

Alguns lamuriam-se por ter ganho uma equipa defensiva. Eu próprio também não tenho sido grande adepto do futebol da selecção italiana nos últimos anos mas, não sei porquê, neste mundial fiquei convencido.

Futebol defensivo mas de categoria. Bella Italia.

Acabou o sonho

Podemos sair orgulhosos deste mundial. Chegámos onde muito poucos diziam que podíamos chegar e além disso chegámos lá com mérito.

Perdemos com a França tal como também poderíamos ter ganho. Penso que fomos superiores em termos de futebol jogado mas faltou-nos a acutilância necessária a um jogo destes (Pauleta where are you?).

Não percebo, também, esta insistência em nos queixarmos do árbitro sempre que perdemos. Custa assim tanto aceitar que também podemos perder sem influências de terceiros. Perdemos porque sofremos um golo e não marcámos nenhum, chama-se futebol.

Resta agora jogar contra a Alemanha para decidir o terceiro lugar numa decisão que nem sequer devia ser decidida. Pouca diferença há entre ser terceiro ou quarto e é apenas mais um jogo que custa tanto a jogadores como a adeptos depois de uma derrota nas meias-finais que é sempre dolorosa.

À 2ª Jornada

Neste momento todos os grupos estão com as 2 primeiras jornadas completas e podem ser ditas algumas coisas:

– Portugal tem algumas boas hipóteses de chegar longe neste Mundial. Ainda não vi nenhuma equipa que pareça inalcançável à equipa portuguesa, embora tenha sido conveniente para escrever este parágrafo que não tenha podido ver nem o Argentina – Sérvia e Montenegro nem o respectivo resumo.

– Mesmo assim a Argentina só joga com 11.

– A exibição mais excitante que vi até agora foi a do Gana frente à República Checa.

– Mantorras está muito longe de ser o jogador que era antes da lesão mas mesmo assim é trinta vezes melhor que Akwá. Edson também devia ser titular.

– Muitos golos de levantar estádios. Esta bola é boa para o espectáculo.

Mundial

Começa amanhã a maior competição de futebol do mundo. Um mês cheio de bola para nosso deleite. Além da competição em si e da eleição do campeão do mundo o que mais gosto no campeonato do mundo são os jogos improváveis que geralmente não podemos ver noutras alturas.

Jogos como um Itália – Gana, um Coreia do Sul – Togo ou um Alemanha – Costa Rica em que as equipas fazem uma abordagem tão diferente ao futebol que quase parece que nem estão a praticar o mesmo desporto são para mim um dos maiores atractivos da competição.

Mundial 2006

Rússia, Eslováquia, Letónia, Estónia, Liechtenstein e Luxemburgo. Se isto não é um grupo acessível não sei o que será. Apesar de ter duas equipas que vão participar no Euro, penso que Portugal tem equipa para ganhar a todas elas e apurar-se com tranquilidade para o Mundial. Por outro lado já toda a gente sabe como são as fases de apuramento para os portugueses. Sempre a fazer contas até ao último jogo, quaisquer que sejam as equipas. Ainda assim estou confiante que desta vez isso não vai acontecer.

Mais um sorteio

Amanhã é o sorteio para a fase de qualificação do Mundial de 2006. Portugal sai como cabeça de série por isso não há muita coisa para ter medo neste sorteio. Algumas boas equipas podem calhar no grupo de Portugal mas pelo menos evitamos os colossos.

Se “evitarmos” a Holanda (e talvez a Grécia) teremos um grupo bastante acessível e a presença na Alemanha deverá, se tudo correr bem, ser uma realidade.