Quique, deve ir ou ficar?

Já aqui defendi a continuidade de Quique Flores como treinador do Benfica mas o homem parece apostado em não me dar razão.

Neste momento há dois grandes argumentos, um a favor e outro contra a continuidade do espanhol. O Benfica precisa de estabilidade no seu projecto desportivo, é certo, mas por outro lado o futebol apresentado por esta altura já devia ser bem melhor ou, pelo menos, mostrar alguma evolução em relação ao início da época.

Eu, a cada derrota mais inclinado fico para a tentativa de manter a estabilidade despedindo Quique Flores. A questão é, será isto possível? Será que a equipa pode evoluir (em oposição a começar tudo de novo, outra vez) mudando de treinador?

É fundamental que a base do plantel seja a mesma deste ano. Ir buscar jogadores apenas para as posições mais debilitadas (lista de compras, dois laterais e um extremo direito) e depois disto apenas substituir os jogadores que não conseguirmos mesmo segurar. Um novo treinador terá que trabalhar com um plantel construído nestas condições. Além disso Rui Costa deve continuar como director desportivo, independentemente de quem for o presidente.

Se for assim, venha outro treinador. Um melhor que este! O que, à partida, desqualifica logo Scolari (devem mas é estar a gozar!).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *