Portugal entra no negócio dos brindes

O jogo era a feijões mas era agradável e útil ter ganho. Uma vitória mostraria que tínhamos um grupo forte no seu todo mas assim mostra-se que as alternativas não são fortes quanto isso. Duas razões ressaltam à vista no jogo de hoje. Primeiro, a falta de capacidade do meio-campo para construir jogo, ou, melhor dizendo, a falta de um jogador que fizesse o papel de Deco. Depois alguns jogadores que parecem não ter vontade de mostrar na selecção os argumentos que mostram nos seus clubes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *